Notícias

Time de basquete do Sesi promove a inclusão de jovens com espectro autista

Quarta-feira, 29 de setembro de 2021

Iniciativa melhora coordenação motora e comportamento por meio da socialização

Esporte não é apenas saúde, é inclusão também. O time de basquete do Sesi Alagoas, formado por 18 atletas com transtorno do espectro autista (TEA), é uma prova disso. Duas vezes na semana, pais e alunos se reúnem no Sesi Cambona para treinar.

É uma rotina que vem ajudando, e muito, no tratamento desses jovens. “Estou muito agradecido por todas terças e quintas estar fazendo exercício com ele, aqui, e melhorando o rendimento do meu filho, tanto técnico como psicológico, graças a Deus!”, disse Everton Ferreira, pai do Everton Filho, de 14 anos.

Já são seis meses de trabalho, explica o professor Pablo Lucini, do Programa Sesi Pessoas com Deficiência (PSPCD). “Somos uma referência na região Nordeste. Iniciativa semelhante somente encontrei no Rio de Janeiro e em São Paulo”, diz.

O basquete, assim como outras atividades físicas coletivas, proporciona a estes jovens uma oportunidade de interação social, além de trazer benefícios para a coordenação motora. A evolução no comportamento dos atletas do Sesi é atestada pelos pais.

“Sou testemunha de coisas que o meu filho não fazia e hoje, com o trabalho da equipe, do pessoal aqui, meu filho tem evoluído bastante, graças a Deus e graças ao Sesi. Hoje, tivemos uma confraternização maravilhosa e o meu filho não se alimentava. Agora, aqui no Sesi, está comendo. E tem também a socialização, que é importante”, disse Ana Paula Tenório, mãe do Luiz Filipe, de 10 anos.

A Beatriz da Conceição, mãe do Gabriel Richard, de 14 anos, também enxerga o progresso do filho. “O que eu notei depois do esporte foi que ele tem melhorado muito na coordenação motora dele e na postura. Por ele ser uma criança grande e alta, tem melhorado também a qualidade do sono e tem estado com mais energia”, declarou.

Os pais do José Lisboa Neto, de 7 anos, dizem que o garoto está se desenvolvendo muito bem. “Eu e a mãe do meu filho estamos muito orgulhosos e contentes com o desenvolvimento dele. Só tenho a agradecer e pedir que Deus abençoe a todos. Com fé em Deus, ele vai progredir cada vez mais”, disse Fabrício Lisboa.

Compartilhe: