Notícias

Rede Sesi Senai de Alagoas se antecipa e implanta novo ensino médio nas suas escolas

Terça-feira, 10 de novembro de 2020

Metodologia permite ao estudante optar por diferentes trajetórias de estudo e aprofundar o conhecimento em áreas específicas

A Rede Sesi Senai sai na frente na oferta do Novo Ensino Médio em Alagoas. Já em 2021, todas as turmas de 1º ano das escolas Sesi Cambona e Sesi Senai Benedito Bentes seguirão os moldes das orientações da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), além dos itinerários formativos que serão obrigatórios para todas as escolas, públicas e privadas, a partir de 2022.

A experiência já existe, pois, em 2018, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás e Espírito Santo foram escolhidos pelo Departamento Nacional de Sesi e Senai para a implantação de turmas-piloto que hoje são referência para todo o país. “Temos resultados significativos de ensino-aprendizagem com essas turmas que já trabalhamos e estamos aptos a oferecer esse avanço à comunidade alagoana”, destacou a diretora de Educação e Tecnologia do Sesi Senai em Alagoas, Cristina Suruagy.

Segundo ela, o Novo Ensino Médio vem para aprofundar e ampliar aprendizagens, consolidar a formação integral, promover valores universais e desenvolver habilidades. Um dos diferenciais é permitir que os estudantes optem por diferentes trajetórias de estudo e pelo aprofundamento em áreas específicas.

Ao todo, são três mil horas para todo o ensino médio, que começa com mais ênfase nos conteúdos gerais e, gradualmente, aumenta-se o número de horas-aula para a formação que o aluno optou, dentre essas possibilidades: linguagens e suas tecnologias; matemática e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; ciências humanas e sociais aplicadas e a formação técnica e profissional.

Assim, ressalta Cristina, "o estudante está no centro da vida escolar, com estímulo à autonomia, ao protagonismo e à responsabilidade dos jovens em relação às suas escolhas futuras. Ele vai poder ter acesso à parte comum a todos e se aperfeiçoar na área de maior preferência e aderência ao que ele pretenderá seguir na sua vida profissional".

Estudantes desenvolvem vocações

Para Thiago Moisés Santos da Silva, de 16 anos, aluno do 1° ano do Novo Ensino Médio da Escola Sesi Cambona, a nova metodologia faz muita diferença. “Nesse modelo eu consigo colocar em prática ideias que tenho em trabalhos e atividades, deixando os trabalhos ainda mais dinâmicos e do meu jeito”, disse.

O garoto, que sonha ser repórter, destaca que a escola o prepara muito bem para o futuro. “Aqui no Sesi estudamos um itinerário de Mundo do Trabalho, que nos prepara para qualquer profissão e, ainda mais, para a que você deseja. Além de trabalhos audiovisuais que me ajudam muito a treinar o meu modo de falar com a câmera, segurar o microfone, criar textos, entre outras coisas”, declarou.

Desafios estimulam o aprendizado

A engenharia é o sonho de João Jacinto de Souza Neto, 17, que está no 2º ano do Novo Ensino Médio da Escola Sesi Senai Benedito Bentes. Além de gostar da escola – “Toda a equipe da instituição é sempre muito atenciosa e os professores são todos extremamente prestativos, sempre prontos para auxiliar os alunos”, diz ele –, ser constantemente desafiado melhora e muito o aprendizado.

“O Sesi Senai é referência em solucionar problemáticas do nosso cotidiano, e é exatamente isso que abrange as engenharias, sejam elas relacionadas ou não relacionadas à tecnologia. Toda essa metodologia de iniciações científicas, projetos e palestras oferecidas pela instituição são responsáveis pela formação do aluno nos aspectos do método científico de pesquisa. Ou seja, um aluno Sesi Senai adentra na universidade com uma boa bagagem de pesquisas científicas, o que futuramente, pode ajudar o mesmo em sua vida acadêmica”, ressaltou.

As perspectivas para atuar no campo profissional pelo qual é apaixonado crescem nessa nova maneira de estudar. “Acredito que, com a mudança do formato da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o modelo do Novo Ensino Médio seria mais eficaz, visto que será cobrado com base na grade curricular escolhida pelo aluno, por isso, este novo formato tem ênfase em determinados assuntos que compõem a grade do curso técnico”, acrescentou João.

Compartilhe: