Notícias

Curso fortalece vínculos entre professores, alunos, famílias e técnicos do Sesi/Senai

Segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Curso de Comunicação Não Violenta (CNV) aconteceu de quinta-feira a sábado, na última semana

Aprimorar as relações interpessoais e desenvolver relacionamentos mais plenos e saudáveis entre alunos, professores, famílias e corpo técnico. É essa filosofia que a Educação Básica do Sesi estimula nos docentes e colaboradores do Sesi/Senai, com uma imersão sobre Comunicação Não Violenta (CNV), encerrada no sábado (25), na Escola Sesi/Senai do Benedito Bentes. 

O curso, que também visa ao fortalecimento das relações de parceria e cooperação, em que predomina comunicação eficaz e com empatia, faz parte da programação de abertura do ano letivo de 2020.

Iniciado nessa quinta-feira, 23, teve o tema “Construindo diálogos: Como estabelecer relações através da CNV”, e foi ministrado pelo Instituto CNV Brasil, por meio de uma parceria entre o Sesi/AL e a Unindústria. “Estão sendo propostas diversas reflexões. Os participantes são levados a explorar as transformações de paradigmas, o olhar sobre observação, sentimento e o processo de escuta do outro”, explicou a gerente executiva de Educação do Sesi/Senai, Clarisse Barreiros.

A especialista em Educação Corporativa da Unindústria, Daniela Lemos, defende que esta capacitação, além de contribuir para o desenvolvimento profissional e pessoal dos docentes do Sesi e do Senai, também é muito valiosa para os alunos e para a sociedade.

Ela explica que, ao se disseminar uma forma de comunicação mais respeitosa e cuidadosa, cria-se um círculo virtuoso, no qual todos saem ganhando. “A CNV é um tema extremamente relevante nos dias de hoje para toda a comunidade escolar, pois amplia as possibilidades de construção de diálogos, de colaboração em sala e cooperação entre todos”, destaca.

A professora Ingryd Ferreira aprovou o curso. “Achei a temática bem interessante, bem como as reflexões trazidas. É de suma importância saber se comunicar de forma empática e não invasiva, sempre tendo em mente que o outro é, também, um outro universo”, afirmou.

Compartilhe: